sexta-feira

OS V.L.P.

Os VLP nos anos 80
Os VLP (Vive La Peinture “Viva a Pintura”) colectivo de Artistas Plásticos “ ligados as Nova figuração (Figuração livre em França ) dos anos 80 em França, e os “Media-peintre” eram três na base, hoje só actuam does pintores “Michel Espagnon, Jean Gabaret” o Martial Jalabert foi para outras vidas. Sempre em acção pelas ruas de Paris com um novo personagem “o Zuman” que colam em sítios estratégicos.


Museu do Louvre


Piratagem das colunas do Artista conceptual Buren em Paris


Jean Gabaret e Michel Espagnon

segunda-feira

B U G A N V I L I A Publicação inconsútil dos INTEIROS

terça-feira

Viagem Nocturna ao País da Amizade.



Lua Cheia, azul claro
Noite quase dia
Sem madrugadas por enquanto
As ruas dormem de pé
Apoiadas em prédios com medo da cor.Ao lado de candeeiros
Ainda há pouco acordados
Ninguém passa
Agora a rua é!Pertence à luz cheia da lua igual
Palavras ecoam no espaço parado
Prolongando o silêncio geral
Levam mensagens, ideias, pensamentos
Em copos de vidro com ar
Faz-se a ronda de nós próprios
Sem deixarmos rastos de sonhos
Que por fazer estarão sempre
Conversa-se, discute-se
Por exemplo:
- O que é, o que não é,
Não deve ser, como é,
Porque sim, talvez, penso que sim,
Não penso assim, concordo,
Não sou, tenho a ideia que,
Talvez, penso que não, como?
Inícios repetidos em relógios parados
Ondas ao contrário de um mar vazio
Há falta de Eus no mundo, explico:
Eu sou, eu faço, eu quero
Mas ser mesmo, fazer mesmo, querer mesmo

O défice de Eus leva ao acréscimo de Tus
De onde resultam Nós sem verdade
Entretanto a noite estelar cá está.Como prometeu chegou
Com lua cheia.Sem gente vazia
Sons de longe chamam o vento
Bom dia ó noite fria.Depois, agora, durante. Falar, trocar ideias
Afirmar enfim para terminar
-“Eu cá não sou de separar, sou de unir
Não sou de partidos, sou de inteiros”
Boa noite. Até amanhã
A. Xavier

segunda-feira

CONVITE CULTURAS HABITADAS




Culturas habitadas

Modos de ser e ver

O caso de Pinhal Novo

De

Aleksandra Chomicz

CONVITE

Para o lançamentodo livro

Culturas habitadas

+

Performance

dos

INTEIROS

Dia 7 de Dezembro 2005 as 21horas

Auditório da Junta de Freguesia de Pinhal Novo

sexta-feira

CASCALHEIRA ASL-TOMÈ um vinho inspirador






A S L - T o m é , Sociedade Vinícola, Lda.
História breve
A firma A.S.L.-Tomé, Sociedade Vinícola, Lda., foi pertença dos antepassados dos actuais proprietários e vem sendo herdada sucessivamente há, pelo menos, cinco gerações da mesma família.A propriedade onde se situa a sede é composta por uma parte agrícola (vinha), por uma parte administrativa (escritórios) e por uma parte industrial (adegas, lagares e cubas de vinificação, etc.).A firma possui ainda mais sete propriedades situadas no concelho de Palmela, estas destinadas exclusivamente à cultura de vinhas, perfazendo um total de cerca de 40 hectares.A adega actual foi construída em meados da década de 40, substituindo uma outra que já existia no local desde fins do século XIX. A firma A S L - Tomé, Sociedade Vinícola, Lda., foi constituída em 1992, embora esta constituição tenha sido apenas uma mudança de nome e uma actualização do capital social e das partes integrantes da sociedade, da qual passaram a fazer parte a última geração da família. A designação anterior era Américo de Sousa Lopes & Herdeiros, mais conhecido por Américo Tomé, que veio de Palmela e estabeleceu-se em Pinhal Novo, produzindo vinho e fazendo a sua distribuição, principalmente na região da Grande Lisboa, Distrito de Setúbal , Alentejo e Algarve.Na altura, imperava a venda a barril, além da venda directa a quem se deslocasse à adega.Hoje, a venda contempla principalmente vinho engarrafado, embora ainda subsista a venda de vinho em barril (a granel) em muitas das tabernas do Distrito de Setúbal.
Finalmente, em 2002, a firma aposta mais fortemente na produção de vinhos de qualidade, introduzindo no mercado já em 2003, além do vinho de mesa branco e tinto “ Alto da Cascalheira “, o Vinho Regional Terras do Sado Tinto “Cascalheira “ , estando prevista a entrada de novas marcas no mercado nos próximos anos, nomeadamente um VQPRD Palmela, além de vinhos elaborados a partir de outras castas além do Castelão (vulgo Periquita), nomeadamente Syrah, Cabernet Sauvignon e Aragonês.




quinta-feira

PORQUE É QUE A CULTURA FICA ASSIM PARADA ???

Free Counter
Free Counter Estou no Blog.com.pt